ASSISTÊNCIA TÉCNICA E GERENCIAL 2017-10-16T15:29:32+00:00

ASSISTÊNCIA TÉCNICA E GERENCIAL

Criado em 2013 pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, o Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATEG) tem como principal objetivo atender produtores rurais de todas as regiões brasileiras, possibilitando o acesso a um modelo de assistência técnica associado à consultoria gerencial, em consonância com as ações Formação Profissional Rural.

O Programa ATEG do SENAR conta com uma metodologia própria e inovadora, que tem por objetivo disseminar novas tecnologias e formas de manejo que possibilitem ao produtor obter maior conhecimento sobre a sua atividade, permitindo o desenvolvimento do seu negócio.

Além das técnicas de manejo da produção, o Programa realiza o acompanhamento gerencial das propriedades rurais, controlando custos e medindo os resultados econômicos das atividades, fundamentado em cinco etapas de trabalho:

Fonte: Site do SENAR.

Para o cumprimento de todas as etapas de trabalho, os técnicos de campo realizam uma visita mensal, com duração mínima de quatro horas a cada propriedade assistida, proporcionando um atendimento personalizado às demandas e necessidades de cada produtor.

No Estado do Rio de Janeiro o Programa de ATEG foi implementado para a atividade de bovinocultura de leite em meados de 2016, completando um ano no próximo mês.

Foram selecionados para participar do Programa de ATEG técnicos capacitados pelo SENAR-RJ por meio do Programa Balde Cheio, o que permitiu agregar transferência de tecnologia e técnicas de produção à acompanhamento sistemático dos resultados, gerando um serviço de alta qualidade.

Hoje, o SENAR-RJ conta com 6 sindicatos rurais parceiros e 8 técnicos de campo que já atendem 60 propriedades de bovinonocultura de leite em 22 municípios do Estado do Rio de Janeiro.

A assistência técnica perpassa todos os fatores produtivos da atividade, desde o controle climático (das chuvas e temperaturas), o manejo adequado dos recursos e a preservação ambiental das propriedades, até o produto final, com o controle da qualidade do leite.

Além dos controles básicos de sanidade animal, como exame de brucelose e tuberculose, pode-se destacar a adequação de diversas técnicas produtivas. Dentre as principais técnicas utilizadas pode-se destacar: manejo intensivo de pastagens tropicais, irrigação, cana de açúcar + uréia, estruturação dos rebanhos, melhoria do conforto animal, entre outros. Todas estas práticas são aliadas ainda à controles zootécnicos de parição, cobertura e pesagem do leite.

Ao longo de todos os processos produtivos são realizados, simultaneamente, os controles das receitas e despesas geradas pela atividade leiteira, a fim de medir os resultados econômicos e a eficiência do negócio.

Além da bovinocultura de leite, estuda-se implementar, em breve, o Programa de ATEG também para bovinocultura de corte e café, duas importantes atividades do setor agropecuário do Estado.